TRATAMENTO

Algumas alterações nas células do colo do útero e vulva causadas pelo vírus HPV, podem regredir espontaneamente principalmente em pacientes jovens. Podemos auxiliar o sistema imunológico a combater o vírus através da ingesta de polivitamínicos, fitoterápicos, ácido fólico, alimentação balanceada, exercícios físicos e em caso de pacientes tabagistas, a interrupção desse hábito. Essas orientações e tratamentos são essenciais, e sempre estarão presentes na conduta terapêutica independente do grau da lesão!!
Alguns fatores imunológicos (resposta imune local e humoral), a associação com a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida Humana, fatores genéticos como o polimorfismo da proteína p53, o tabagismo e o uso de contraceptivos orais por tempo prolongado, interagem em menor ou maior intensidade com oncoproteínas e outros elementos do HPV, potencializando a ação do vírus na célula hospedeira e facilitando o desenvolvimento dos processos de imortalização e carcinogênese. Por isso, o fortalecimento do sistema imunológico, e orientações específicas para cada paciente neste momento se tornam tão importante.
A vacinação será indicada, mesmo que a paciente já tenha sido exposta ao vírus, se não houver contraindicação.
Existem protocolos de acompanhamento e tratamento para cada tipo de lesão, dependendo do grau, idade da paciente, presença de verrugas genitais e status imunológico, podendo variar de tratamento medicamentoso à cirurgia.

Alguns tratamentos:

  • Albocresil óvulos (Policresuleno)
  • Ácido tricloroacético a 90%
  • Eletrocauterização
  • Conização
  • Cirurgia de Alta Frequênca (CAF)
  • Exérese da zona de transformação