SANGRAMENTO UTERINO

Também conhecido como Metrorragia ou hemorragia uterina, nada mais é do que o sangramento do útero em um período que não coincide com o ciclo menstrual, sendo exteriorizado pela eliminação do sangue pela vagina. O sangramento uterino pode ocorrer em qualquer idade e na maioria dos casos possui origem não maligna, mas vale prestar mais atenção para os casos registrados em mulheres acima dos 40 anos de idade, pois pode ser um sinal de carcinoma endometrial, que é o câncer de endométrio.

As causas do sangramento uterino diferem de acordo com a idade da mulher. Mesmo havendo casos na infância, é raro acontecer e normalmente estão associados com a introdução de objetos na vagina e outros traumas do gênero. Já na adolescência, o aparecimento do sangramento uterino pode se manifestar por meio dos ciclos menstruais irregulares e por menstruações excessivas.

Na fase adulta e reprodutiva da mulher, o sangramento uterino pode ocorrer devido a diversos fatores, como infecções, miomas uterinos, hemorragias da gravidez e pólipos, por exemplo. Já na menopausa, conforme explicado no primeiro parágrafo, esse sangramento pode ser indicativo de tumores malignos no endométrio. O DIU também pode causar o sangramento uterino.

O sintoma mais fácil de perceber em relação ao sangramento uterino é a perda de sangue pela vagina, porém, de maneira distinta ao fluxo menstrual regular, pois esse sangramento não ocorre no mesmo período menstrual e nem possui a mesma intensidade, duração, quantidade e aspecto. Contudo, além desse sangramento, sintomas como dores abdominais, febre, inchaço da região abdominal ou disfunções hormonais podem aparecer em conjunto.

Para descobrir a causa do sangramento uterino, o médico deve realizar alguns exames como o Papanicolau, a biópsia endometrial ou a colposcopia, além de levar em conta as reclamações e sintomas percebidos pela paciente. Outros exames de imagem também podem ser solicitados de modo a complementar o diagnóstico da doença, pois ajudam na visualização do endométrio para analisar se há feridas, lesões ou tumores na região, além do exame de sangue, que ajuda na constatação de infecções no local, conseguindo assim passar uma avaliação completa do caso para a paciente.

O tratamento do sangramento uterino vai depender do diagnóstico da causa, podendo variar desde a remoção do DIU até a prescrição de hormônios ou antibióticos. Porém, se for constatada a presença do câncer de endométrio, em alguns casos, é necessária a realização de cirurgia para a retirada dos tumores e, em situações mais graves, a remoção do endométrio. Contudo, para esses casos, uma nova técnica foi desenvolvida e por meio dela tem sido evitada a remoção desnecessária do útero no caso do câncer. Ela se chama ablação do endométrio por histeroscopia e pode ser a solução para a cura do câncer de endométrio sem a necessidade de retirada do útero da paciente.

Se você tiver percebido alguns dos sintomas mencionados neste artigo, não hesite em procurar um médico o quanto antes, principalmente se você se encontrar dentro desse grupo etário que oferece um maior risco nos casos de sangramento uterino.